Hora Brasileira

Saúde Pública: consulta pública sobre inclusão da vacina da Dengue no SUS

Publicidade

Saúde Pública: consulta pública sobre inclusão da vacina da Dengue no SUS

Ministério da Saúde abre debate sobre incorporação do imunizante Qdenga
Uma seringa e um frasco de vacina contra a Dengue sobre um fundo azul. O frasco é pequeno e transparente, com um rótulo vermelho que diz “VACINA DENGUE”. A seringa é maior, com um êmbolo preto e uma agulha com uma tampa de segurança vermelha. A seringa está posicionada diagonalmente, com a agulha apontando em direção ao frasco.
Vacina contra Dengue - Prevenção é essencial

O Ministério da Saúde anunciou, nesta quinta-feira (7), a abertura de uma consulta pública para discutir a possível inclusão da vacina contra a dengue no Sistema Único de Saúde (SUS). A proposta envolve o imunizante Qdenga, que está atualmente sob avaliação da Comissão Nacional de Incorporações de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec).

Segundo informações divulgadas pela pasta, a Comissão Nacional realizou uma reunião na quarta-feira (6) para analisar o cenário epidemiológico e recomendar a incorporação do imunizante. A sugestão inicial é direcionar a vacina para localidades e grupos prioritários, a serem definidos pelo Programa Nacional de Imunizações, considerando a incidência e transmissão da dengue, bem como as faixas etárias mais vulneráveis.

O Ministério da Saúde destacou que a restrição de público também leva em conta a capacidade de fornecimento de doses por parte da fabricante. A empresa japonesa Takeda Pharma, fabricante da Qdenga, submeteu a demanda para avaliação da tecnologia. A Comissão avaliou dados que indicam uma eficácia geral na redução da hospitalização em 84% dos casos de dengue.

A recomendação de incorporação feita pela Conitec está condicionada a uma proposta de redução de preço por parte da fabricante. Apesar do desconto inicialmente oferecido, o governo federal considera o valor por dose, de R$ 170, como elevado. O Ministério da Saúde afirmou que esse preço é duas vezes maior que o das vacinas mais caras já incluídas no programa de imunização.

O laboratório estima que poderá fornecer 8,5 milhões de doses no primeiro ano e um total acumulado de 50 milhões em cinco anos. No entanto, essa projeção impõe restrições ao público a ser atendido.

Todas as recomendações de incorporação de medicamentos e insumos pela Conitec são submetidas a uma consulta pública de 20 dias. No entanto, considerando a projeção epidemiológica para o próximo verão, com a possível elevação de casos de dengue, a consulta ficará aberta por um prazo reduzido de 10 dias. Após esse período, as sugestões serão organizadas e avaliadas pela comissão, que emitirá uma recomendação final. Caso a vacina seja incorporada, o esquema de administração será de duas doses, com intervalo de três meses entre elas.

Leia também

Publicidade

Compartilhe

Publicidade

Bem Vindo ao HoraBrasileira

Nosso blog se destaca pela ampla variedade de conteúdos, incluindo política, economia, cultura, entre outros, com contribuições de colaboradores globais. Oferecemos nosso conteúdo em vários idiomas, essencial tanto para brasileiros no exterior quanto para estrangeiros.

Nossa missão é fornecer informações precisas, confiáveis e imparciais, com uma abordagem equilibrada, apesar de nossa orientação política progressista.

Comprometidos em manter a comunidade brasileira no exterior bem informada, garantimos acesso a notícias atualizadas e equilibradas sobre o Brasil e o mundo em diversas plataformas e idiomas.

Se você tem paixão por escrever e algo a dizer, queremos ouvir!

Pular para o conteúdo