Hora Brasileira

Só existem 24 democracias plenas no mundo?

Publicidade

Só existem 24 democracias plenas no mundo?

Segundo o Economist Democracy Index, países como os Brasil, Estados Unidos e a Itália são democracias com falhas. Portugal está também nesse grupo. Mas politólogo António Costa Pinto não tem dúvidas sobre a saúde da democracia portuguesa 50 anos depois do 25 de Abril. No mundo, as autocracias ganham terreno.

A democracia é comumente entendida como “o poder do povo”, derivada do grego “demos” (povo) e “kratos” (poder). Winston Churchill uma vez descreveu a democracia como “a pior forma de governo, com exceção de todas as outras”. Contudo, a realização de eleições é suficiente para afirmar que o povo exerce poder? Segundo o Economist Democracy Index, a resposta é não. Vários países que têm eleições são classificados como regimes híbridos, como o México, ou autoritários, como a Rússia. Mesmo Portugal, que celebra o cinquentenário da Revolução de 25 de Abril, é considerado uma “democracia com falhas”, assim como outros países da União Europeia e grandes nações como os Estados Unidos e a Índia.

Regressão Global da Democracia:

A história recente mostra um recuo global em democracia, conforme observado por António Barreto. Na década de 1970, a democratização avançava com o fim de regimes autoritários em Portugal, Grécia e Espanha. Entretanto, hoje a situação é inversa, com um número crescente de países e populações vivendo sob regimes não democráticos, com 71% dos habitantes do planeta em regimes autocráticos segundo o índice V-Dem.

Perspectivas Atuais e Futuras:

O jornalista americano Dennis Redmont aponta que países como Itália e Portugal, apesar de serem democracias com falhas, enfrentam desafios significativos, como baixas taxas de natalidade e crescimento econômico anêmico, que minam a confiança dos cidadãos no futuro. Ele também destaca a crescente desconfiança em políticos e maior confiança em CEOs de empresas privadas. Olhando para o futuro, Redmont discute a preocupação com novas legislações na União Europeia que podem impactar a liberdade e a transparência.

Críticas aos Índices de Democraticidade:

Diferentes índices avaliam a saúde democrática dos países, muitas vezes com resultados dissonantes. Por exemplo, enquanto Canadá é uniformemente avaliado como uma democracia plena, os Estados Unidos são considerados uma democracia com falhas. O historiador António Costa Pinto destaca que, apesar de algumas classificações menos favoráveis, Portugal mantém uma boa posição em liberdades fundamentais, estando entre os países mais democráticos do mundo segundo a Economist.

Essa análise evidencia que, enquanto algumas democracias enfrentam desafios internos e externos significativos, o compromisso com princípios democráticos continua sendo um pilar crucial para a sustentabilidade e saúde das sociedades modernas.

Leia também

Publicidade

Compartilhe

Publicidade

Bem Vindo ao HoraBrasileira

Nosso blog se destaca pela ampla variedade de conteúdos, incluindo política, economia, cultura, entre outros, com contribuições de colaboradores globais. Oferecemos nosso conteúdo em vários idiomas, essencial tanto para brasileiros no exterior quanto para estrangeiros.

Nossa missão é fornecer informações precisas, confiáveis e imparciais, com uma abordagem equilibrada, apesar de nossa orientação política progressista.

Comprometidos em manter a comunidade brasileira no exterior bem informada, garantimos acesso a notícias atualizadas e equilibradas sobre o Brasil e o mundo em diversas plataformas e idiomas.

Se você tem paixão por escrever e algo a dizer, queremos ouvir!

Pular para o conteúdo