Hora Brasileira

Tribunal Internacional inicia julgamento sobre acusação de Genocídio em Gaza

Tribunal Internacional inicia julgamento sobre acusação de Genocídio em Gaza

África do Sul Acusa Israel de Genocídio em Gaza: tribunal internacional inicia o julgamento.
Tribunal Internacional inicia julgamento sobre acusação de Genocídio em Gaza África do Sul Acusa Israel de Genocídio em Gaza: tribunal internacional inicia o julgamento.
Tribunal Internacional inicia julgamento sobre acusação de Genocídio em Gaza África do Sul Acusa Israel de Genocídio em Gaza: tribunal internacional inicia o julgamento.

O Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) deu início hoje à avaliação da acusação de genocídio apresentada pela África do Sul contra Israel. A queixa, protocolada em 29 de dezembro do ano passado, alega genocídio dos palestinos na Faixa de Gaza em decorrência da reação israelense ao ataque iniciado pelo Hamas em 7 de outubro.

Na primeira audiência, 15 juízes do principal órgão judicial da ONU ouvirão a argumentação sul-africana. Pretória busca que o tribunal decrete medidas de emergência, incluindo a suspensão imediata das operações militares israelenses e a cessação de todos os “atos genocidas” descritos na queixa.

A África do Sul baseia sua acusação na Convenção sobre o Genocídio de 1948, alegando que a guerra entre Israel e o Hamas viola esse tratado. O presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, afirmou que a oposição ao que chamou de “massacre do povo de Gaza” motivou a abordagem ao TIJ. Israel reagiu categoricamente, qualificando a acusação de “infundada” e “calúnia de sangue”.

A apresentação do caso pela África do Sul enfatiza a obrigação dos Estados partes da Convenção de 1948 de tomar “todas as medidas razoáveis ao seu alcance para prevenir o genocídio”. A delegação sul-africana, que inclui o ex-líder do Partido Trabalhista britânico Jeremy Corbyn, defensor da causa palestina, destaca a semelhança entre o tratamento dado por Israel aos palestinos e o apartheid na África do Sul.

Israel, por sua vez, defende sua ação como legítima defesa para proteger os israelenses, afirmando que age em conformidade com o direito internacional. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, rejeitou os apelos de membros de seu governo para que os palestinos deixem Gaza voluntariamente.

As equipes jurídicas terão cerca de três horas cada para apresentar suas alegações, com Israel respondendo nesta sexta-feira. O julgamento dos méritos do caso, que pode levar anos, será marcado para uma data posterior. O TIJ não possui poderes para fazer cumprir suas decisões, e o processo pode se prolongar, enquanto ambas as partes também buscam ganhar a batalha da opinião pública.

Leia também

Publicidade

Compartilhe

Publicidade

Bem Vindo ao HoraBrasileira

Nosso blog se destaca pela ampla variedade de conteúdos, incluindo política, economia, cultura, entre outros, com contribuições de colaboradores globais. Oferecemos nosso conteúdo em vários idiomas, essencial tanto para brasileiros no exterior quanto para estrangeiros.

Nossa missão é fornecer informações precisas, confiáveis e imparciais, com uma abordagem equilibrada, apesar de nossa orientação política progressista.

Comprometidos em manter a comunidade brasileira no exterior bem informada, garantimos acesso a notícias atualizadas e equilibradas sobre o Brasil e o mundo em diversas plataformas e idiomas.

Se você tem paixão por escrever e algo a dizer, queremos ouvir!

Pular para o conteúdo