Hora Brasileira

Ex-Presidente Bolsonaro Acusado de Quatro Crimes em Relatório da CPMI do 8/1

Ex-Presidente Bolsonaro Acusado de Quatro Crimes em Relatório da CPMI do 8/1

O relatório final da CPMI do 8 de janeiro, elaborado pela senadora Eliziane Gama, acusa o ex-presidente Jair Bolsonaro de quatro crimes graves relacionados ao ataque aos Três Poderes, incluindo associação criminosa e golpe de Estado. O documento aguarda votação e, se aprovado, será enviado à Procuradoria-Geral da República para avaliação.
Jair M Bolsonaro
Jair M Bolsonaro

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de janeiro, conduzida pela senadora Eliziane Gama (PSD-MA), solicitou o indiciamento do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) por quatro crimes sérios em seu relatório final sobre a investigação do ataque aos Três Poderes. As acusações são as seguintes:

Associação Criminosa:

Previsto no artigo 288 do Código Penal Brasileiro, o crime envolve a associação de três ou mais pessoas com o objetivo específico de cometer crimes, com pena de 1 a 3 anos.

Violência Política:

Conforme o artigo 359-P do Código Penal Brasileiro, trata-se do emprego de violência física, sexual ou psicológica para impedir o exercício de direitos políticos de qualquer pessoa, com previsão de reclusão de 3 a 6 anos e multa.

Abolição Violenta do Estado Democrático de Direito:

Segundo o artigo 359-L do Código Penal, o crime consiste em tentar, através de violência ou grave ameaça, abolir o Estado Democrático de Direito, com pena variando entre 4 a 8 anos.

Golpe de Estado:

O crime, conforme descrito no Código Penal, é caracterizado por tentativas de depor, por meio de violência ou grave ameaça, o governo legitimamente constituído, com previsão de reclusão de quatro a 12 anos.

Análise da Relatora:

Na leitura do relatório, a senadora Eliziane Gama descreveu Bolsonaro como o “mentor moral” do ataque aos Três Poderes, enfatizando a ausência de simpatia do ex-presidente por princípios republicanos e democráticos. Ela ressaltou que Bolsonaro alimentou a violência entre a população brasileira em eventos pré-eleitorais de 2022 e desacreditou o processo eleitoral.

Além disso, a relatora mencionou os acampamentos em quartéis ao redor do Brasil como de “teor golpista”, indicando que Bolsonaro nunca solicitou a desmobilização dos acampamentos. Ela também trouxe à luz a instrumentalização da Polícia Rodoviária Federal para a permanência de Bolsonaro no poder e mencionou uma “minuta de golpe” entregue a Bolsonaro por um assessor, evidenciando a gravidade das acusações.

Leia também

Publicidade

Compartilhe

Publicidade

Bem Vindo ao HoraBrasileira

Nosso blog se destaca pela ampla variedade de conteúdos, incluindo política, economia, cultura, entre outros, com contribuições de colaboradores globais. Oferecemos nosso conteúdo em vários idiomas, essencial tanto para brasileiros no exterior quanto para estrangeiros.

Nossa missão é fornecer informações precisas, confiáveis e imparciais, com uma abordagem equilibrada, apesar de nossa orientação política progressista.

Comprometidos em manter a comunidade brasileira no exterior bem informada, garantimos acesso a notícias atualizadas e equilibradas sobre o Brasil e o mundo em diversas plataformas e idiomas.

Se você tem paixão por escrever e algo a dizer, queremos ouvir!

Pular para o conteúdo